Biografia dos Santos

Posts Tagged ‘São Pedro Chanel

São Pedro Chanel

Família

 Maria Ana Sibellas, esposa de Francisco Chanel, deu à luz a oito filhos, e o quinto, Pedro, nasceu no dia 12 de julho de 1803…Pedro Chanel…deixaria seu país para ir às ilhas do Sul, onde se tornaria o primeiro Mártir-Santo da Oceania. …Tendo seu pai uma pequena fazenda, o trabalho de Pedro era de pastorear as ovelhas, e a maior parte do su tempo ele os passava mais nos campo do que na escola….

 Quando Pedro tinha 16 anos, Padre Trompier decidiu que ele estaca pronto para o seminário menor…Durante seus estudos de filosofia, Pedro ficou no seminário de Belley, a sede da diocese, e durante os anos de teologia foi para o seminário maior de Brou, onde se ordenou nas mãos de Dom Devie, bispo de Belley, no dia 15 de julho de 1827….

 Em 1831 um certo número de padres pediu para entrar no grupo de Maristas, e entre eles o Padre Chanel, (que tinha como lema há muitos anos: “Amar Maria e fazer com Ela seja amada”) e também seu melhor amigo, Padre Claude Bret.

…Numa outra parte do mundo, um capitão marítimo irlandês, Pedro Dillon, estava muito preocupado com a penetração do Protestantismo na Oceania…fez contato com o Bispo de Solanges, que era Prefeito Apostólico..no Oceano Indico, mas estava também muito interessado na evangelização da Ilhas do Pacífico,…Roma foi informada de tudo e começou dividindo a Oceania em dois viacariatos: a parte oriental, que seria confiada aos Missionários dos Sagrados Corações de Jesus e Maria…e a parte ocidental, que seria confiada ao Bispo de Solanges, que foi encarregado de encontrar padres para ajudá-lo neste projeto…Embora fossem somente vinte Maristas naquela época,e o vicariato ocidental da Oceania fosse uma vasta extensão…Roma liberou os Maristas dos limites das duas dioceses de Lyon e Belley, com a aprovação da Sociedade de Maria, no dia 29 de abril de 1836, confiando-lhes o vicariato ocidentgal da Oceania. No dia 24 de setembro do mesmo ano, os Maristas reuniram-se para eleger o superior geral. O Padre Jean-Claude Colin foi eleito, e dezenove Maristas, Padre Chanel era uma deles, fizeram seus votos como membros da Sociedade de Maria.

 Pedro Chanel começou o trabalho…no ia 12 de novembro de 1837, dez anos depois de sua ordenação….A prova mais difícil que teve, foi a de tentar dissipar o ódio, que existia o ódio, que existia …na ilha.

 [1]Depois do dia de trabalho voltava para casa, enfraquecido pela fome, banhado de suor e morto de cansaço. Mas estava sempre animado, disposto e alegre…Nao costumava negar coisa algumas aos habitantes da ilha, nem mesmo àqueles que o perseguiam. Sempre os desculpava e nunca repelia por mais rudes e importunos que fossem. Tratava-os com extrema afabilidade, que manifestava de várias formas sem excetuar ninguém. Não é de admirar que os indígenas o chamassem de “um homem de grande coração”…E pedia com fervor o amparo da Mãe de Deus, por quem tinha particular devoção.

 …com a ajuda do Padre Chanel, conseguiu demonstrar, …que os ídolos pagãos dos nativos não tinham nenhum poder, queimando-os sem nada de mau acontecer a nenhum dos missionários. Depois disso muitos nativos pediram para receber as instruções da Fé.

 As notícias da ilha de Wallis sobre o sucesso do Padre Battaillon, tendo agora mil e quatrocentos catecúmenos, endureceram os corações dos chefes de Niuliki contra o Padre Chanel. Se o deixassem converter a Ilha, onde ficariam seus poderes?

 …a perseguição se intensificou. Os Catecúmenos foram proibidos de assistir às instruções dos missionários; não mandavam mais alimentos como antes e a horta foi invadida. Apesar do esgotamento com as constantes viagens nos diferentes povoados e da falta de uma alimentação adequada, quando Pade Chanel ouviu falar que a maior parte dos Walisianos estava pedindo o batismo, mandou logo os dois missionários recentemente chegados…a fim de ajudar o Padre Bataillon nas instruções aos Walisianos.

 …Apesar da perseguição, Padre Chanel continuou instruindo quatro ou cinco catecúmenos. Um dia, Meitala, o filho de Niuliki, inesperadamente juntou-se ao grupo…O fato de Wallis se tornar cristã e agora o filho do próprio Niuliki querer ouvir as instruções, ameaçava a posição deles….Eles esperariam até que o padre estivesse sozinho. Não demorou muito… No dia 28 de abril, de 1841, um nativo apareceu na casa do Padre Chanel, quando ele estava na horta. Ele foi ao encontro do nativo para lhe perguntar o que ele desejava. “Uma bandagem para Musumusu, que está ferido”, foi a resposta…logo apareceu um grupo de nativos com Musumusu na frente…Quando o Padre Chanel entrou na casa para buscar a bandagem, dois nativos seguiram-no e começaram a pegar as roupas de dentro da casa…eles atiraram suas roupas para fora, como um sinal para os outros invadirem a casa…Um dos nativos pegou um porrete, e para proteger-se  contra o golpe, Padre Chanel levantou o braço, mas o golpe foi tão violento que quebrou seu braço. Outros golpes atingiram sua cabeça e, ele caiu no chão, batendo as costas contra a parede. Neste momento, os nativos pegaram tudo o que havia lá, como roupas, vasos sagrados, vestimentas, tudo. Enquanto isso acontecia, dois catecúmenos inesperadamente apareceram no local… “Minha morte é uma benção para mim”, Padre Chanel repetiu algumas vezes. Os catecúmenos tentaram carregá-lo para fora, mas ele disse: “Deixem-me aqui. A morte é para mim uma dádiva”.

 [2]Na véspera ele havia predito: “Não me importa morrer. A fé cristã se firmou nesta ilha e minha morte não irá arrancá-la!

 O Padre Chanel morreu por causa da Fé. Foi o primeiro mártir da Oceania….Tornou-se Bem-aventurado Padre Chanel até o Ano Mariano de 1954, quando foi canonizado pelo Papa Pio XII e é agora São Pedro Chanel. Sua festa é no dia 28 de abril.

 Fonte: São Pedro Chanel, Padre John W. Lynch S. M. Documentos SM – Brasil, nº 4, Curitiba, 1994.


[1] Dom José Carlos de Lima Vaz, SJ. Santos vida e fé. Ed.vozes.2008.p.60.

[2] Dom José Carlos de Lima Vaz, SJ. Santos vida e fé. Ed.vozes.2008.p.60.

Anúncios