Biografia dos Santos

Posts Tagged ‘Bárbara Maix

  • In: Bárbara Maix
  • Comentários desativados em Bárbara Maix – Beata

“Mostremos com nosso exemplo, 

 aquilo que com palavras  ensinamos”’

                      Bárbara Maix – Serva de Deus

Destaque para a última das beatificações, a da irmã Bárbara Maix, que ocorrerá no Brasil no dia 6 de novembro. A religiosa nasceu na Áustria mas desenvolveu seus trabalhos e fundou a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração no Brasil, no Rio Grande do Sul.

No começo do mês o Vaticano havia confirmado que a Freira Bárbara Maix seria beatificada, após o Papa acolher proposta encaminhada pelo arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings.

Maria Barbara da Santíssima Trindade, (Barbara Maix), virgem, fundadora da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria; Sábado, 6 de novembro.

 Fonte: http://barbaramaix.blogspot.com/2010/06/foi-divulgado-nesta-terca-feira-pelo.html

 Natural de Viena, Áustria, filha de José Maix e Rosália Mauritz, nasceu no dia 27 de junho de 1818.Registros históricos nos relatam que José Maix era funcionário público. Encontramos seu pai, no ano de 1782, trabalhando como ajudante de cozinha junto ao príncipe Luis José Lischtein. Pouco tempo depois, no ano de 1786, passa a ser funcionário no Palácio de Schönbrunn, na função de criado doméstico e depois camareiro do imperador.

 As mortes na família Maix eram freqüentes e a doença, contínua. Bárbara, a caçula de 09 filhos do segundo matrimônio, teve sua infância e adolescência marcadas por muitas privações o que lhe causou debilidade orgânica.

 Certamente, era muito duro para o pai José Maix trabalhar no palácio onde se realizavam muitas festas, com requintes e luxo, e ver os próprios filhos morrerem, um após outro, por não conseguir vencer, com o fruto de seu trabalho, a fome e a doença. Morava na casa número um (1) dos empregados, ao lado do palácio.

 Neste ambiente de contrastes entre luxo e abundância do palácio com a pobreza e a dor na família, a personalidade de Bárbara foi se formando. Dos pais herda a fé cristã, o espírito de luta e resistência, persistente teimosia pela causa da vida, a coragem de enfrentar o império do luxo com súplicas de socorro para as carências da família. É o amor sem limites pela vida que a torna forte, destemida, cheia de vigor. Aprende na experiência sofrida do dia-a-dia, a não fraquejar diante das dificuldades por maiores que sejam.Desde tenra idade, manifesta espírito missionário e profético diante dos desafios da realidade:

 Em tempo de guerra, de proibição do Estado em fundar Congregações Religiosas, reúne jovens e, com elas, inicia o Projeto das Irmãs do Imaculado Coração de Maria.

 Numa situação social de desemprego em que o maior número de nascimentos eram de mães solteiras, abre um pensionato para abrigar empregadas domésticas, visando à orientação e à assistência, prevenindo-as da prostituição e demais desigualdades sociais.

 Perseguida pelo contexto político-econômico de Viena e na necessidade de sair do país, planeja ir à América do Norte. Ao embarcar com 21 companheiras, quis as circunstâncias que viesse ao Brasil, sem conhecê-lo cultural e geograficamente. Conforme escreve uma de suas companheiras: “Chegamos ao Rio de Janeiro, em novembro (09/11/1848), sem dinheiro, sem conhecimento de ninguém, sem saber a língua, com muita fome, mas cheias de confiança em Deus e em Nossa Senhora.” (Me. Isabel)

 Numa época em que a mulher não tinha participação social, acesso ao saber e à Escola, ela se fez educadora e permitiu o estudo às meninas, em especial as órfãs e pobres.

 Atenta à realidade, percebe outras necessidades da época, assumindo Asilos, Pensionatos. Por ocasião das epidemias: cólera e febre amarela e da Guerra do Paraguai, assume atividades em enfermarias e Hospitais.

 Diante de uma sociedade que mantém o regime de escravidão, Bárbara não aceita pessoas trabalharem em condição de escravas junto às Irmãs. Todas realizam os mesmos serviços e têm os mesmos direitos numa relação de igualdade e partilha.

 Bárbara, mulher de fé, discerne a realidade, tomando iniciativas de não mais realizar tarefas quando estas não ajudam no modo de vida exigido pelo Projeto Congregacional. “… não creio que haja autoridade na terra que me possa obrigar a fazer coisa alguma contra minha consciência. Não somos escravas, Senhor Administrador. Somos livres pela misericórdia de Deus.” (B.Maix)

 Num contexto em que as Ordens Religiosas eram de estilo puramente contemplativo, Bárbara apresenta uma inovação: uma forma de Vida Consagrada projetada para o trabalho leigo e social. Este modelo de Vida Religiosa era novo tanto para a Igreja como para o Governo. Funda a primeira Congregação feminina de vida ativa no Brasil.Com perspicaz inteligência, abre novos caminhos, supera obstáculos e posiciona-se com firmeza diante da orfandade, da opressão e do autoritarismo da época.

 A vida de Bárbara Maix foi duramente marcada pelo sofrimento e dificuldades de toda sorte: econômica, espiritual, vida comunitária e realização da missão. Faleceu no dia 17 de março de 1873, deixando como herança às suas Irmãs o Perdão.

 Fonte: http://www.icm-sec.org.br/site/institucional.php?id=19

 Algumas frases de Bárbara Maix:

 “Dizei muitas vezes: Meu Jesus, aqui estou. Fazei de mim o que vos aprouver! outra coisa eu não quero a não ser cumprir a vossa Santíssima Vontade!” (03.04.1860)

 “Deus não permitirá que sejamos iludidas em nossa confiança“ (junho-1866)

 “Assim como o corpo tão somente recebe o seu vigor, porte e beleza quando todos os membros prestam o seu auxilio mútuo, assim uma comunidade adquire a sua beleza, vigor e poder, somente quando o amor fraterno impulsiona os membros a doar-se mutuamente.” (14.10.1869)

 “Depois de horas sombrias, vêm horas alegres” (14.09.1871)

 “A SS. Trindade iniciou a obra da fundação e há de completá-la. E porque é de Deus e não minha, não importa nada se ele deixa que tudo seja, aparentemente, aniquilado, porque em sua onipotência,com um só aceno, a reerguerá.” (19.02.1872)

“Mostremos com nosso exemplo,  aquilo que com palavras  ensinamos”’

Fonte:http://www.icm-sec.org.br/seduc.htm

 UMA HISTÓRIA QUE SE FAZ VIDA… 

 Bárbara Maix, fundadora da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, nasceu em Viena, na Áustria. Devido à perseguição religiosa movida pela revolução de 1848, Bárbara embarcou para o Brasil com mais 21 companheiras, chegando ao Rio de Janeiro depois de 57 dias de viagem. No dia 8 de maio de 1849, fundou a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, no Rio de Janeiro – RJ.

 A primeira semente de vida foi lançada no dia 08 de maio de 1843, em solo vienense. Enquanto o grupo de jovens realizava atividades manuais, Bárbara ia externando, às suas companheiras, o desejo de fundar uma Congregação de Irmãs para dedicar-se à educação de meninas e assistência às jovens desempregadas. Cultivando a fé cristã recebida da família, freqüentava a Igreja Maria da Escada, Igreja dos pescadores, localizada às margens do Rio Danúbio.

 A situação sócio-político-cultural-religiosa de Viena e de toda a Europa era de tensão e conflito pela difusão das idéias liberais, provindas da Revolução Francesa. Em Viena, irrompe a revolução Josefinista contrária às Ordens Religiosas, que provoca a expulsão de Bárbara e suas companheiras, as quais pretendiam estabelecer-se na América do Norte. Enquanto aguardavam, no Porto de Hamburgo, um navio que as transportasse para esse país, aportou um barco com destino ao Brasil. Entendeu Bárbara ser esta a Vontade de Deus: decidiu partir. Era dia 15 de setembro de 1848.

 Tendo presente este panorama, no qual foram implantadas as raízes iniciais, a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria foi fundada, oficialmente, no Brasil em 08 de maio de 1849, na cidade do Rio de Janeiro/RJ.

No Brasil, Bárbara encontrou um contexto de escravidão. Aos poucos se fazia também sentir a nova ordem mundial que ia se estabelecendo: o capitalismo e o liberalismo, com o advento do operariado. A indústria se acelerou e marcou a história como a era da industrialização.

 Atualmente, precisamos redescobrir a missão que Bárbara nos legou, cultivar uma postura de fidelidade criativa ao Carisma fundacional – “Busca contínua da Vontade de Deus, caracterizada pelo seguimento radical a Jesus Cristo, que veio para cumprir os desígnios do Pai. Supõe uma atitude de total e permanente disponibilidade aos apelos da Igreja em cada momento histórico”. (Constituições 1987)

 A missão da Vida Consagrada nasce no coração da Trindade: no amor do Pai que nos torna filhas, no amor de Jesus que nos torna Irmãs e no Espírito Santo que nos convoca à comunhão de vida com Deus e à participação fraterna na comunidade humana.Olhando às Pessoas da Santíssima Trindade, especialmente Jesus, o revelador do Projeto do Pai por meio do Espírito Santo, nossa missão é o compromisso com a VIDA. Percebendo a realidade do povo, comprometemo-nos com os pobres, buscando resgatar e defender a dignidade da pessoa, promovendo-a em comunidade.

 Fonte: http://www.icm-sec.org.br/site/institucional.php?id=1

http://www.vatican.va/news_services/liturgy/2008/documents/ns_lit_doc_2008_beatificazioni-approvate_it.html

ORAÇÃO

             Deus, Pai de bondade e misericórdia, que escolhestes BÁRBARA MAIX para cumprir sempre e em tudo a Vossa Vontade, especialmente junto aos mais necessitados, concedei-nos, Vós que conheceis nossas esperanças e sofrimentos, a GRAÇA de que tanto precisamos…

            Pedimos, também, por intermédio do Imaculado Coração de Maria, a Beatificação de Vossa fiel serva. Amém!

            Ave Maria…

Anúncios